Retail First - Coronavírus: Estratégias de marca
  1. Home
  2. SHOPPER & UX
  3. Coronavírus: Estratégias de marca

Retail First - Grupo Toolbox

Grupo Toolbox

Postado em 05/06/2020

Número de likes do Artigo Coronavírus: Estratégias de marca 0

Número de Visualização do Artigo Coronavírus: Estratégias de marca 235

Número de Comentários do Artigo Coronavírus: Estratégias de marca 0

Com o cenário atual da crise do COVID e o aumento do medo e ansiedade entre a população, marcas e varejistas têm desenvolvido estratégias inovadoras para ajudar, tranquilizar e conectar-se com seus consumidores. Desde estratégias elaboradas a ações de filantropia, consumidores estão cada vez mais olhando para marcas como um pilar de estabilidade durante a crise. O relatório da WSGN “Coronavirus: Brand Strategies” (Coronavírus: Estratégias de marca) aponta como varejistas e marcas estão fazendo a diferença durante a pandemia.

Cuidando de grupos de risco

Varejistas estão intensificando seus esforços para estender seus cuidados aos idosos e aqueles com necessidades durante a pandemia, oferecendo apoio para grupos de risco que estão em isolamento ou para aqueles que não conseguem comprar comida com grande parte da sociedade entrando em pânico e comprando em grandes quantidades. Supermercados e mercearias a redor do mundo estão introduzindo horas especiais em suas lojas para garantir que idosos e clientes vulneráveis tem a oportunidade de fazer suas compras. Muitos supermercados também têm introduzido o racionamento, deixando com que clientes compre no máximo de três de qualquer produto de mercearia e dois em itens populares, como papel higiênico, sabão e leite.
Marcas devem continuar a olhar para espaços onde podem autenticamente ajudar grupos de risco e idosos, oferecendo soluções e estratégias em trono da entrega, compras de alimentos e tranquilidade emocional.

Ofertas significativas

Com restaurantes, bares e lojas sendo fechados, muitas marcas estão oferecendo descontos e acordos para aliviar os custos financeiros, emocionais e tecnológicos que a crise traz. Os descontos visam melhorar o bem-estar de seus clientes como uma maneira de ajudar comunidades locais. À medida que a pandemia continua e se espalha, é cada vez mais importante pensar em maneiras de retribuir e fazer uma contribuição positiva, por menor que seja, neste ambiente tenso. É importante direcionar a energia negativa e o medo para algo positivo, consequentemente resultando em clientes leais ao longo prazo. É importante também se comunicar com sensibilidade oferecendo ofertas com propósito e não somente bombardear seus consumidores.

Conexão com menos contato

Antes mesmo da pandemia, estávamos nos tornando uma sociedade com menos contato físico, onde marcas e consumidores têm pouca ou nenhuma interação dentro de um espaço físico. Estudos apontam que pessoas cada vez mais querem controlar o quanto optem por interação humana, controlando sua experiencia nas lojas. Com o surto do coronavírus acelerando esta mudança no comportamento do consumidor, grandes empresas estão respondendo com estratégias que permitem pouco ou nenhum contato físico, mas ainda prestando excelente serviço, como por exemplo o delivery sem contato com o entregador. Reduzir o contato físico, mas aumentar o impacto criando experiencias rápidas e eficientes que eliminam a necessidade de contato físico será chave.
 
Soluções de higienização 

Mudar modelos de negócio para responder a demandas urgentes do consumidor nunca foi tão importante quanto durante essa crise que estamos passando. Empresas estão pivotando suas ofertas e intensificando esforços para fornecer produtos de limpeza e álcool em gel em meio da escassez mundial. Empresas de cosméticos, por exemplo, tem parado sua produção de perfumes e cosméticos para produzir álcool em gel e distribuir para hospitais da região. Outras disponibilizaram suas lojas para que as pessoas possam entrar e lavar as mãos enquanto estiverem na rua. Certifique-se que sua empresa está equipada para ser o mais ágil o possível durante esse tempo, desenvolvendo novos conteúdos e produtos e adaptando-se a novas plataformas e circunstâncias.
 
Priorizando a saúde mental

Com a propagação do coronavírus, marcas estão oferecendo recursos e iniciativas para ajudar indivíduos cuidar de sua saúde mental e para clarear o tempo durante tanta incerteza. Aliviar o medo crescente e a ansiedade através de espaços como santuários e estratégias de varejo conscientes que levam em consideração a saúde mental é chave durante esse período, como disponibilizando espaços de acolhimento online ou oferecendo suporte a funcionários. Com isso, é importante criar campanhas com cuidado, formuladas para acalmar o publico com uma voz de conforto e oferecer apoio e ajuda para aqueles que precisam. 
 
Incentivando o consumo consciente

Enquanto supermercados em todo o mundo estão cada vez mais pedindo para seus clientes não serem levados pelo pânico de comprar, acumular itens e privar outros com necessidade de produtos essenciais, há uma outra narrativa emergente que vê pequenas marcas pedindo aos consumidores para apoiá-las comprando mais e mais conscientemente. Há um movimento emergente do consumo de produtores e marcas locais e independentes para ajudar sua comunidade. Abrindo uma conversa aberta e honesta com seus clientes sobre suas preocupações e medos é uma boa maneira de estender confiança. Isso dá aos clientes a oportunidade de assumir controle da relação, construindo uma relação mais forte e os tendo do seu lado em tempos de necessidade.
 
Essas mudanças de curto prazo terão impactos de longo prazo. Porém,  é importante ficar atento ao purpose-washing e agir autenticamente agora, com soluções e serviços que ajudarão não somente durante a crise, mas quando tudo isso estiver passado.
 
FONTE: Coronavirus: Brand Strategies.pdf

Você gostou desse artigo?

Você gostou desse artigo?

DEIXE SEU COMENTÁRIO

MATÉRIAS RELACIONADAS