Retail First - Explorando o poder das marcas próprias
  1. Home
  2. SHOPPER & UX
  3. Explorando o poder das marcas próprias

Retail First - Grupo Toolbox

Grupo Toolbox

Postado em 22/05/2020

Número de likes do Artigo Explorando o poder das marcas próprias 0

Número de Visualização do Artigo Explorando o poder das marcas próprias 3

Número de Comentários do Artigo Explorando o poder das marcas próprias 0

Como varejistas estão redefinindo as marcas próprias para aumentar lealdade e lucro
 
O crescimento das marcas próprias

Os setores de varejo e bens de consumo estão mudando rapidamente. Nos últimos anos, o crescimento dos D2Cs (direct-to-consumer) transformou o cenário do mercado de bens de consumo. Entre 2015 e 2019, foram investidos US$3,3 bilhões em produtos de consumo com componente direto ao consumidor.

À medida que as marcas D2Cs mudam as expectativas dos consumidores em relação a velocidade de comercialização e entrega, marcas estabelecidas que procuram replicar conexões similares com os consumidores passam a desenvolver marcas próprias. Com isso, varejistas começaram a introduzir uma variedade de marcas próprias em diversas categorias, fazendo com que as vendas de produtos de consumo dessa especificação representassem atualmente 3% das vendas online, contra 1,3% no ano de 2017. Já nos canais de varejo em massa, marcas próprias avançaram na participação do mercado para 19,3% em 2018, contra 15,5% em 2013.

Os esforços para desenvolver marcas próprias são recompensados, gerando crescimento e lealdade à medida que consumidores e empresas percebem os benefícios encontrados nelas. Assim, para os varejistas, possuir uma marca por inteiro permite maior controle em termos de margem de lucro, direção estratégica e acesso aos dados do consumidor. Com isso as vendas de produtos exclusivos aumentaram quase 4% em 2019, quase o dobro do crescimento de vendas de produtos de consumo.

Já para os consumidores, marcas próprias oferecem experiências de produtos semelhantes as oferecidas pelas marcas nacionais, mas a preços mais acessíveis. Foi visto que nos Estados Unidos, consumidores mais jovens e de média a baixa renda têm comprado mais produtos de marcas exclusivas, enquanto que no Reino Unido, atualmente os consumidores gastaram 85 milhões de libras a mais em produtos de marca própria se comparado com o ano de 2018, sendo que esses volumes estão subindo 3% – em comparação com produtos de marca, que caíram 2%.
A fim de procurar cada vez mais comprar produtos domésticos e de buscar os melhores preços, consumidores estão escolhendo marcas próprias dos supermercados mais do que nunca durante a pandemia COVID-19. Isso pode representar uma oportunidade para varejistas verem ganhos futuros através de suas marcas exclusivas.
 
6 pontos de ação estratégicos ao criar marcas próprias

1.Siga os dados
Use os sortimentos existentes como uma oportunidade para testar e refinar, identificando as preferências dos consumidores e onde as marcas nacionais estão falhando em construir marcas próprias competitivas e atraentes que cumpram essas preferências.

2.Capture o poder da influência
Aproveite o poder dos fãs de várias fontes - marcas lendárias, influenciadores, líderes do setor ou plataformas de entretenimento - para parcerias exclusivas, transformando clientes leais em embaixadores orgânicos da marca.

3.Considere o manual do D2C
Examine o sucesso das marcas D2C geradas através do engajamento direto do consumidor e adote uma abordagem semelhante para obter feedback, a fim de identificar áreas de oportunidade onde os consumidores estão famintos por interrupções.
 
 
4.Diferencie-se da multidão
Concentre-se em grupos de clientes carentes e garanta vantagem competitiva e maior impacto, oferecendo um espaço de soluções de nicho e sob demanda.

5.Mantenha o preço, mude o visual
Mantenha os preços acessíveis e crie um visual diferenciado através da experiência do cliente de alto design que reflita os valores e iniciativas da marca própria reposicionada.

6.Mantenha-o in-house
Reconheça o valor em programas de incubadora de intraempreendedorismo ou workshops de colaboração de marcas próprias, aproveitando os resultados para gerar ideias inovadoras de marcas exclusivas.  
 
Tendências

Relançamento orientado por causa
Reintroduzir marcas próprias existentes com iniciativas que valorizem o consumidor, como transparência e inclusão, entrelaçadas em seu propósito de marca.

Mindfulness acessível
Democratizar o acesso ao bem-estar e oferecer produtos tipicamente premium, como comida vegana e clean beauty, a um preço acessível.

Oferta informada por idade
Capacitar grupos de consumidores inexplorados ou carentes com uma marca especificamente projetada em torno de seu estilo e estágio de vida.

Colaboração interna
Desenvolver, informar e incubar novas colaborações de marcas por meio de parcerias internas de marcas próprias, gerando reconhecimento de marca e ganho de consumidor para todas as partes envolvidas.

Marcas lideradas por influenciadores
Aproveitar o poder dos influenciadores por meio de acordos de parceria exclusivos, e aproveitar a lealdade dos seguidores existentes para incentivar embaixadores de marcas orgânicas.

Soluções complementares
Enriquecer a experiência de compra e culinária através de kits e serviços que proporcionem conveniência que consumidores da próxima geração esperam em todos os pontos de preço.

Experiências acessíveis
Criar experiências e ofertas memoráveis da marca em pontos de preço acessíveis através de colaborações inteligentes. 

Fonte:  Exploring the Power of Private LabelHow Retailers Are Redefining the Private Label Brand To Boost Loyalty & Profitability (por PSFK Research)

Você gostou desse artigo?

Você gostou desse artigo?

DEIXE SEU COMENTÁRIO

MATÉRIAS RELACIONADAS